Você está visualizando atualmente Flitabira homenageia o poeta Pedro Muriel

Flitabira homenageia o poeta Pedro Muriel

  • Categoria do post:Notícias

O 2.° Festival Literário Internacional de Itabira (Flitabira), que acontece entre os dias 31 de outubro e 6 de novembro, homenageia o poeta belo-horizontino Pedro Muriel, que faleceu em junho deste ano em decorrência de uma doença neurológica. A homenagem acontece tanto de forma presencial, no dia 5 de novembro, sábado, em Itabira, quanto de forma digital, com transmissão pelo YouTube do Festival.

A homenagem presencial acontece na Arena Newton Baiandeira (montada na Praça do Centenário durante os dias do Festival), onde vai ocorrer uma conversa entre a mãe do Pedro, Roberta Muriel, e o jornalista e escritor Chico Mendonça. Além disso, também vai estar presente o ator Thiago Lacerda, para declamar, à sua escolha, poemas escritos pelo belo-horizontino. Já a homenagem digital conta com a exibição de vídeos curtos nos quais escritores, atores e outros artistas, além de parentes de Pedro Muriel, declamam poemas dele. Estas foram as pessoas que participaram das declamações: Roberta Muriel, Afonso Borges, Malu Mader, Leo Cunha, Chico Mendonça, Evandro Ferreira, Bruna Lombardi, Daniela Zuppo, Áquila, Mia Couto, Ondjaki, Antônio Grassi, Antônio Fagundes, Djamila Ribeiro, Chico Pinheiro, Itamar Vieira Junior, Cris Pàz, Leila Ferreira, Alexandra Maia, Cláudia Abreu, José Eduardo Agualusa e Suely Machado.

Autor de três livros de poesia, “Proesia” (2017), “Numa esquina dos trópicos” (2018) e “Rodas de leitura” (2018), Pedro Muriel foi também palestrante sobre temas como literatura, viagens, autonomia, inclusão e acessibilidade. Bacharel em Relações Internacionais, Pedro também criou o “Poemacast” podcast realizado de forma colaborativa, que buscou democratizar o acesso à poesia e o compartilhamento da arte literária.

Confira, a seguir, o texto que o jornalista e escritor Chico Mendonça escreveu a respeito da homenagem:

“O poeta Pedro Muriel foi prosear em outras paragens quase no fim de junho deste ano de 2022. Prosear porque, para ele, viver e conversar eram verbos sinônimos e simultâneos. Gostava de gente mais ainda que de pudim de leite, embora seja certo afirmar, sem risco de erro, que jamais se sujeitaria a uma escolha tão sem pé nem cabeça. Não era homem de reclamar nem de se lamentar, apesar da cadeira de rodas e do respirador atado ao seu rosto. Era pessoa do tempo presente, da vida como se apresenta.

Foi-se com Pedro um jeito diferente de estar neste planeta – um olhar profundamente amoroso, interessado sempre no seu interlocutor e no que dizia, discretamente atento ao que acontecia em seu entorno, resistente ao vício do julgamento e autor de uma poesia radicalmente engajada em buscar o sentido de viver. Foi-se tudo isso, mas ficaram as pegadas da sua presença, centenas de poemas e uma coleção de vidas que ele ajudou a transformar com a força da prosa, do olhar e do fazer.

Pedro falava vários idiomas, tinha uma curiosidade inesgotável, uma vasta cultura e sentia muitas dores, mas quase ninguém sabia. Para ele, o fascinante era a fala do outro, a percepção diferente da sua. Escreveu:

“Finjo que não sei o que sei

Para dar espaço

Ao contar do outro

Na busca do próprio passo

Não por ser humilde

Não por saber tudo

Só pra escutar a voz de alguém

Dizer

De outra maneira o que eu já sei”

O Flitabira homenageia Pedro Muriel, a pessoa e os poemas que escreveu, por reconhecer neles uma linguagem singular e inspiradora, também por admiração e saudade. “Se a gente não puder ser amor, não tem jeito de ser mais nada!”, dizia. Viva Pedro Poeta!”

Sobre o Flitabira

Criado pelo jornalista Afonso Borges – que é também o idealizador do Festival Literário de Araxá (Fliaraxá) e do Sempre um Papo –, o Flitabira chega à sua segunda edição em 2022, celebrando os 120 anos de Carlos Drummond de Andrade. O Festival tem início justamente na data em que nasceu o poeta itabirano – 31 de outubro – e segue até o dia 6 de novembro, promovendo lançamentos de livros, prêmio de redação, debates, exposições, apresentações teatrais e musicais, entre outros. As atividades acontecem em formato figital, ou seja, tanto de forma presencial, na Praça do Centenário, quanto on-line, pelo canal no YouTube, Instagram e Facebook do Flitabira.

O Flitabira é viabilizado com o patrocínio do Instituto Cultural Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O projeto conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Itabira e da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade.

Instituto Cultural Vale

O Instituto Cultural Vale parte do princípio de que viver a cultura possibilita às pessoas ampliarem sua visão de mundo e criarem novas perspectivas de futuro. Tem um importante papel na transformação social e busca democratizar o acesso, fomentar a arte, a cultura, o conhecimento e a difusão de diversas expressões artísticas do nosso país, ao mesmo tempo em que contribui para o fortalecimento da economia criativa. São mais de 300 projetos criados, apoiados ou patrocinados em 24 estados e no Distrito Federal em execução em 2022. Dentre eles, uma rede de espaços culturais próprios, patrocinados via Lei Federal de Incentivo à Cultura, com visitação gratuita, identidade e vocação únicas: Memorial Minas Gerais Vale (MG), Museu Vale (ES), Centro Cultural Vale Maranhão (MA) e Casa da Cultura de Canaã dos Carajás (PA). Onde tem Cultura, a Vale está. Visite o site do Instituto Cultural Vale: institutoculturalvale.org.

Serviço:

2.° Flitabira – Festival Literário Internacional de Itabira

31 de outubro a 6 de novembro

Local: atividades presenciais na Praça do Centenário e atividades on-line nas redes do Festival (@flitabira)

Mais informações no website www.flitabira.com.br

Informações para a Imprensa:

imprensa@flitabira.com.br